O terremoto do Chile e a fé

O terremoto de 8,8 graus na escala Richter ocorrido no Chile, no Sábado, 27 de fevereiro, juntamente com os tremores que se sucederam nos dias seguintes, causaram a morte de 799 pessoas.  Conforme relatos, 1,5 milhão de casas foram danificadas pelo tremor e mais de 2 milhões – ou 12,5% dos 16 milhões de habitantes do Chile – foram afetados.

O caos generalizado fez com que a presidente Michelle Bachelet decretasse estado de exceção de catástrofe nas regiões de Maule e Concepción, as mais devastadas pelo terremoto.

O Chile está localizado sobre a intersecção de duas placas geológicas que constituem uma das principais zonas sísmicas do mundo. O tremor de sábado foi o pior já registrado em território chileno desde 1960, quando um terremoto de 9,5 graus na escala Richter – o maior de que se tem notícia – ocorreu no país.

Acontecimentos como esses levantam questionamentos acerca de onde colocamos a nossa confiança.

Entendo pela Bíblia que a sucessão interminável de terremotos nunca foi da vontade de Deus. Segundo as palavras de Cristo, terremotos seriam um dos sinais indicativos de que o mundo ficará fora de controle e necessitará de uma intervenção divina. (Mateus 24 e Marcos 13)

A boa notícia para aqueles que confiam na Palavra de Deus é que Jesus virá a este mundo segunda vez, para libertar este mundo das trágicas conseqüências do distanciamento do Criador. Entre as medidas aguardadas pelos fiéis está o aniquilamento de todas as doenças, e a transformação dos corpos perecíveis em corpos imortais. Quanto ao planeta, somos informados de que será restaurado à sua perfeição original, e nunca mais se ouvirá falar em terremotos. (Confira nos seguintes versos bíblicos: Apocalipse 21:4; 1 Coríntios 15:19-26 e 51-57; 2 Pedro 3:9-13)

Resta, entretanto, uma pergunta fundamental: você está entre os que confiam em Deus ou entre aqueles que não têm fé?

Comente